Paulo Rónai (Budapeste, 13 de abril de 1907 — Nova Friburgo, 1 de dezembro de 1992) foi tradutor, revisor, crítico, professor de francês e latim no Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro, além de grande estudioso e admirador da babel humana.
Húngaro no nascimento e na educação primária, estudou também na França e na Itália antes de desembarcar, fugido da Segunda Guerra Mundial, no Brasil. Aqui, travou relações de amizade com Aurélio Buarque de Holanda Ferreira - com quem assinou diversos trabalhos -, Cecília Meireles, Carlos Drummond de Andrade, Guimarães Rosa, dentre outros. De seus trabalhos destacam-se as traduções para o português das centenas de contos reunidas em Mar de Histórias (Ed. Nova Fronteira), além do trabalho minucioso de revisão, anotação, introdução e comentário da Comédia Humana de Balzac, publicada pela Editora Globo, visando à tradução dos 89 livros da Comédia Humana, com a participação de 14 tradutores, e Rónai os coordenou e escreveu os prefácios. O projeto, composto por 17 volumes, com a primeira publicação em 1945, levou dez anos para ser concluído.